Páginas

20 de out de 2016

HÁ MORTE NA PANELA! 2 Reis 4:38

Resultado de imagem para ha morte na panela

Depois Eliseu voltou para Gilgal. Nesse tempo a fome assolava a região. Quando os discípulos dos profetas estavam reunidos com ele, ordenou ao seu servo: “Ponha o caldeirão no fogo e faça um ensopado para estes homens”. 
2 Reis 4:38. NVI.

Este é um episódio interessante. Gilgal significa "uma roda"; talvez, aqui, um local de habitação de profetas ao norte de Israel. Foi um dos primeiros seminários de profetas, em que os alunos se assentavam em círculo, ao redor do profeta mestre.

Nessa época havia fome naquela região. Gente com fome não é exigente quanto ao cardápio; come qualquer coisa. O profeta Eliseu viu que a turma estava tão faminta, que não teve dúvida: suspendeu a aula e mandou fazer um ensopado.

Fome zero pode gerar desastres homéricos no pedaço: Um deles foi ao campo apanhar legumes e encontrou uma trepadeira. Apanhou alguns de seus frutos e encheu deles o seu manto. Quando voltou ao grupo, cortou-os em pedaços e os colocou no caldeirão do ensopado, embora ninguém soubesse o que era.2 Reis 4:39.

O ajudante de cozinheiro não tinha a menor noção do que era esse ingrediente, nem mesmo o chefe da cozinha, pois ninguém sabia do que se tratava. Pensavam apenas em como poderiam fazer para matar a fome dos famintos. A trepadeira parecia um legume bem apetitosa e não tiveram dúvida: vamos lá para o fogão preparar um prato delicioso.

O ensopado foi servido aos homens, mas, logo que o provaram, gritaram: “Homem de Deus, há morte na panela!” E não puderam mais tomá-lo. 2 Reis 4:40.

A comida estava envenenada. A planta era tóxica e os alunos corriam perigo de morte. Então gritaram: há morte na panela! Mesmo na culinária moderna há pratos que parecem bons, mas são prejudicial à saúde. Os embutidos, por exemplo, são perigosos. Se soubéssemos como são feitos e quais são os seus ingredientes, quem comeria...

Então, Eliseu pediu um pouco de farinha, colocou no caldeirão e disse: “Sirvam a todos”. E já não havia mais perigo no caldeirão. 2 Reis 4:41.

Aqui vemos o profeta Eliseu introduzindo um ingrediente que vem neutralizar todo o efeito do veneno e tornar a comida saudável. Mas, afinal de contas, o que esse fato tem a ver conosco e o que pode nos ensinar? O que está por trás desta quase tragédia?

Cuidado com os restaurantes, e, principalmente, os espirituais. Há muita gente que vem das escolas de profetas sem saber o que estão servindo para a turma dos carentes. Sem conhecer nada do Pão nosso de cada dia, eles servem, como iguarias de primeira, os ensopados de cabaça para gente sem noção.

Aquela trepadeira era uma colocíntida, espécie de cabaça tóxica, preparada por uma cabeça vazia que não sabe discernir entre verdade Divina e veneno humano.

Há muito mais gente sendo envenenada por açúcar branco do que por carne do tipo vermelha. O açúcar é saborosíssimo, mas é droga com dependência. A carne bovina vem sendo perseguida por ser o boi animal sagrado, na Índia; essa é a mentalidade da religião humanista, tomando conta da elite do mundo atual. O boi é uma divindade que pasta.

Entretanto, o pior alimento ainda é o de cunho espiritual. Quantos "cozinheiros" nos púlpitos que servem humanismo contaminado, afirmando que é puro cristianismo? É aqui que reside o maior perigo. Há morte na panela! A mistura do evangelho com a religião.

Já ouviram falar desses chefes da "culinária" espiritual, Pelágio e Agostinho; Armínio e Calvino? Pois é, Pelágio e Armínio tratam do labor e da cruel obra humana para garantir a salvação. Os outros dois enfocam a graça de Deus como sendo eficaz, eficiente e, além de tudo, suficiente do começo ao fim, no processo da salvação do pecador.

O debate entre Agostinho e Pelágio começou por essa oração de Santo Agostinho: "concede-me o que me ordenas e ordena o que quiseres". Aqui vemos a graça plena em plena ação. Pelágio, porém, acreditava que o homem era livre e capaz de cumprir a lei.

Anos depois, na época da Reforma Protestante, Calvino e Armínio trouxeram esse debate ao fórum teológico. A questão essencial é: graça plena, onde Deus faz tudo, ou a tal graça subvencionada pelo esforço humano? Tentando resolver esse tema de um modo que fosse politicamente correto, surgiu, no seio da igreja, um conceito denominado de semi-pelagiano, que foi lançado na panela, intoxicando o pensamento cristão.

Essa tentativa mesclada ensina que o ser humano é salvo exclusivamente por Deus, mediante a sua graça, todavia, essa salvação partiria somente da boa iniciativa da livre vontade no coração do homem, para com Deus. A salvação, neste caso, depende de uma ação humana e nunca da soberania de Deus. É como se o feto pudesse escolher os pais.

Retirar o homem caído da arena só se for pela graça plena. O pragmatismo e o mérito nunca abrem mão de sua participação efetiva na bênção Divina. Por isso, essa mente de executivo em busca de sua conquista, nega a graça. Ora, se é pela graça, já não é mais pelas obras; se fosse, a graça já não seria graça. Romanos 11:6.

A pregação ensopada de suor, refletindo esforço humano, jamais pode trazer-nos alívio ou promover a dependência total da suficiência do Cordeiro. Li num menu de um religioso: "como devemos viver a fim de agradar a Deus? A melhor advertência, que resume a boa resposta, é: "esforce-se!" Com que força, cara? A do ego ou a de Cristo?

Nós somos agradáveis a Deus pelo que fazemos ou fomos feitos agradáveis ao Pai, no Amado, e assim fazemos o que fazemos movidos pela vida de Cristo? Será que nós podemos fazer alguma coisa que nos torne agradáveis a Deus por nós mesmos ou é a Trindade quem promove em nós tanto o querer como o executar? Esse é o quesito fundamental da vida cristã, quando cremos que o que fazemos é um produto da graça.

Os cristãos precisam reconhecer que o humanismo não é um aliado na busca de um mundo melhor para se viver. É, sim, um inimigo mortal; é a religião sem o Deus de toda graça e com um semideus falido e abusado, que supõe poder controlar todo o universo e as pessoas como a sua ditadura do mérito e da troca de favores.

Há morte na panela quando misturamos o suor do ser humano com o sangue puro do Cordeiro. Não é o nosso esforço que nos torna agradáveis a Deus, mas o sacrifício de Cristo Jesus na cruz. Não é a nossa obediência a Deus que promove o Seu favor para conosco, ao contrário, é Sua graça plena que garante a nossa obediência voluntária. É bem aqui que precisamos prestar muita atenção, para não sermos enganados.

Você quer dizer que eu não tenho que fazer nada? Sim! É exatamente isso. No evangelho, nós cremos que o nosso eu foi crucificado com Cristo e que a vida que nós vivemos, na carne, vivemos pela fé do Filho de Deus, pois, é Ele quem vive em nós. É simples assim. Agora, se nós não entendermos isto, não entendemos nada.

Todavia, precisamos entender ainda que os filhos de Deus são operosos. Só que a operosidade deles é promovida pela graça plena. O apóstolo Paulo diz: Mas, a mim, foi concedida a plena graça bondosa de Deus. E a ela devo tudo o que sou. Não posso permitir que sua graça seja desperdiçada. Não trabalhei muito mais que qualquer um dos outros? Embora os resultados não tenham dependido de mim, mas sim de Deus que me deu sua graça abundante. 1 Coríntios 15:10.

No evangelho o esforço não produz fadiga, ainda que venhamos a nos cansar, fisicamente. Não tem peso na caminhada, ainda que tenhamos lutas na batalha. Não há troca de favores, nem os galardões devem ser vistos como uma conquista pessoal, mas como um desfrutar da dependência do Altíssimo.

A ignorância do aprendiz de profeta colocou cabaça tóxica na panela, supondo que era algo comestível. A nossa ignorância da suficiência de Cristo pode lançar sobre a cabeça dos ingênuos o veneno do humanismo, acreditando que estamos pregando a Cristo. Nada pode ser mais nocivo para a saúde espiritual, do que o esforço próprio no sentido de conquistar aquilo que nos foi concedido graciosamente pelo Senhor.

A fé cristã tem lutas, mas não peso. Ninguém precisa ser o que não é, uma vez que somos o que somos pela graça plena, através da vida de Cristo, em nós. Cuidado com o veneno da cabeça humanista, ele pode matar: "A vida em torno do falso eu, gera o desejo compulsivo de apresentar ao público uma imagem perfeita, de modo que todos nos admirem e ninguém nos conheça", escreveu Brennan Manning.

Antes de terminar, Eliseu pediu um pouco de farinha e colocou na panela. O Trigo moído é uma figura do sacrifício de Cristo. Só essa farinha pode neutralizar o veneno. Só Cristo pode nos tornar íntegros e desintoxicados. Gosto do que disse A. W. Pink “Não há maneira pela qual, por nós mesmos, possamos gerar santificação. A nossa santificação é Cristo. Não há maneira pela qual possamos ser bons. A nossa bondade é Cristo. Não há maneira pela qual possamos ser santos. A nossa santidade é Cristo”

Oremos agora como Martinho Lutero orou outrora: "Senhor Jesus, tu és a minha justiça e eu sou o teu pecado. Tomaste sobre ti o que era de fato meu, e ainda colocaste sobre mim o que era teu. Tu te tornaste o que não eras, para que eu me tornasse o que não sou". Essa pode ser a nossa rendição final diante do fascínio de querer ser alguém fora de Cristo. Aleluia! Amém.



6 de out de 2016

A Sunamita e seu filho, os Sonhos de Deus não morrem

o monte carmelo e o vale de jezreel vistos de suném
A Planície de Jezreel com o Monte Carmelo ao Fundo, Vistos de Suném.
Uma das histórias mais comoventes da bíblia é esta sobre a Sunamita. Uma mulher de nome desconhecido, mas que o seu testemunho de vida atravessou milênios, em um verdadeiro exemplo de féEla lutou pelo seu sonho, não deixou morrer a esperança, passou momentos difíceis, mas confiou em Deus e não se decepcionou.
A história da Sunamita ocorreu aproximadamente entre 874 - 782 antes de Cristo, época em que apareceu no reino do norte de Israel o profeta Eliseu, que foi discípulo de EliasO nome pelo qual ficou conhecida vinha da cidade de Suném, que traduzido significa [declive], pois Suném estava localizada em uma elevação de terras a cinco quilômetros ao norte do vale de Jezreel.
Rodeada por cactos e pomares, logo a sua frente estava o monte Carmelo, onde Elias lutou com os quatrocentos profetas de baal. Bem próximo ao sul, podia se ver o caminho inclinado que levava ao monte Gilboa. De Suném se contemplava toda a planície de Jezreel, uma rica área agrícola. Muitos fazendeiros moravam no vale de Jezreel. O solo fértil favorecia o crescimento dos grãos, proporcionando grandes colheitas, o que acentuava o contraste entre a fertilidade do local, com a infertilidade que sofria a Sunamita.
Este vale havia sido palco da batalha entre os filisteus e os exércitos do rei Saul. E o profeta Eliseu  exercendo seu ministério, saía frequentemente de sua casa em Samaria e percorria certa de 56 quilômetros para chegar ao monte Carmelo, local de seu retiro espiritual, onde se dedicava a oração, buscando a orientação de Deus.
Era uma viagem longa e cansativa, consumia muito as energias de Eliseu e seu moço, Geazi. Eliseu e Geazi, entretanto, para chegarem ao Carmelo (525m de altura), sempre passavam por Suném. E a Sunamita certamente observava ainda de longe, o profeta e seu discípulo, que estavam constantemente em peregrinação por aquelas terras, para buscar a Deus.
O interessante é que a Sunamita enxergou algo que toda uma cidade deveria ter visto, mas não viu. Suném era uma cidade próspera em que seus habitantes poderiam ter facilmente oferecido alimento e abrigo para um homem que estava a serviço de Deus em benefício de toda uma nação.
"Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher importante, a qual o reteve para comer pão; e sucedeu que todas as vezes que passava por ali entrava para comer pão." 2 Reis 4:8
"E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus." 2 Reis 4:9

E a Sunamita tem esse discernimento espiritual. A sua atitude de ajudar o profeta Eliseu e Geazi refletia o zelo e o amor a Deus, que ela possuía em seu coração. Ela era uma mulher bondosa e hospitaleira. E as escrituras mostram que no passado, pela hospitalidade, os servos do Senhor haviam hospedado anjos, sem saber.
E ela pensava que ter o homem de Deus em sua casa representava uma oportunidade de um maior contato com o espiritual. Pra ela, fazer o bem ao homem de Deus era como se estivesse honrando ao próprio Deus.
Então, a Sunamita em uma atitude de amor para com Deus e o seu profeta Eliseu, pede a seu marido que construísse um quarto na parte superior da sua casa, onde poderia abrigar Eliseu. O acesso ao piso superior da casa era feito por uma escada pelo lado de fora do imóvel.
E o cômodo de cima era muito mais fresco e ventilado, e oferecia um melhor isolamento do barulho e sons que vinham da rua. Eliseu não seria incomodado e teria mais privacidade para buscar a Deus em suas orações.
"Façamos-lhe, pois, um pequeno quarto junto ao muro, e ali lhe ponhamos uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; e há de ser que, vindo ele a nós, para ali se recolherá." 2 Reis 4:10
Ela pôs os seus bens à serviço do Senhor, pois para a Sunamita as coisas espirituais eram de grande valor, importavam mais do que as materiais. E Eliseu vendo a sua dedicação, lhe faz uma última prova de fé. Oferece recompensas materiais ou honras sociais. Parece aqui muito com a mesma prova que Jesus direcionou ao cego Bartimeu em Jericó.
"Então Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-lhe, Dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja." Lucas 18:40-41

Mas a resposta da Sunamita revela muito do que estava em seu coração. Ela valorizava a vida, o amor, a família. Não estava preocupada em adquirir mais bens materiais, posição social ou títulos honoríficos. Ela reconhecia o valor imensurável da reunião familiar, o capital imponderável da felicidade de estar entre amigos.
"Haverá alguma coisa de que se fale por ti ao rei, ou ao capitão do exército? E disse ela: Eu habito no meio do meu povo." 2 Reis 4:13
a sunamita hospeda o profeta eliseu e seu moço geaziA Hospitalidade da Sunamita, Abrigando Eliseu e Geazi.
Eliseu ouve o sábio conselho de Geazi que lhe informou que a Sunamita não tinha filhos, um antigo sonho dela, que desejou tanto, imaginou as roupinhas do bebê, podia até ver uma linda criança correndo pelos corredores da casa. Mas era apenas um sonho, esquecido, relegado ao passado.
Mas Deus contemplava a sua generosidade e a sua hospitalidade, a dedicação em servir ao Senhor através da ajuda que oferecia ao seu servo Eliseu. E esta atitude de amor para com o homem de Deus, gerou uma promessa, que ela mal podia acreditar; a Sunamita nunca esperou tamanha benção.
E dentro de um ano a promessa de Deus se cumpriu, porque amor gera vida, paz e alegria. Ela concebeu e deu à luz um lindo e abençoado menino, filho da promessa, tal qual foi Isaque para Abraão e Sara. Agora aquele lar frio se enchia do calor do sorriso de uma criança. Uma família completa e feliz. Em Israel, um filho era considerado a maior benção e alegria que um pai e uma mãe poderiam alcançar. A mulher que não tinha filhos ficava profundamente envergonhada na sociedade.
E a lei judaica dava ao marido direito de se divorciar, caso a sua esposa não pudesse lhe dar um descendente que levaria o seu nome adiante. Mas tudo isso agora estava superado pois, Deus havia lhe dado o presente perfeito, o presente que ela realmente precisava.
Este foi o sonho que a Sunamita escolheu para sonhar, um lar simples, mas feliz, uma família debaixo das bençãos de Deus. E o menino crescia nos caminhos do Senhor. Toda vez que ela olhava para seu filho, se lembrava da promessa de Deus se cumprindo na sua vida. Era lindo!
"E concebeu a mulher, e deu à luz um filho, no tempo determinado, no ano seguinte, segundo Eliseu lhe dissera." 2 Reis 4:17
E o seu filho era uma benção. Ensinado na Lei do Senhor, obediente, ajudava ao seu pai no trabalho. Certamente na ansiedade de querer retribuir todo o amor e o carinho recebido de seus pais, este menino trabalha duro se expondo muito ao sol, mas ele ainda não tinha um preparo físico adequado, não estava acostumado ao trabalho árduo.
O sol de verão é muito forte naquela região, faz muito calor. Muitos estudiosos acreditam que o filho da Sunamita tenha sofrido de insolação, que dependendo da intensidade da exposição ao calor, pode levar à morte, principalmente em jovens e idosos.
"E, crescendo o filho, sucedeu que um dia saiu para ter com seu pai, que estava com os segadores, E disse a seu pai: Ai, a minha cabeça! Ai, a minha cabeça! Então disse a um moço: Leva-o à sua mãe." 2 Reis 4:18-19
E o menino é levado à sua mãe. Depois de algum tempo ele vem a falecer. Momentos terríveis passou aquela mulher, era o vale da sombra da morte. Ver seu único filho, quem ela amamentou com tanto zelo, muitas vezes acordando no meio da noite. Ela deu amor, deu carinho, ensinou as primeiras palavras, os primeiros passos.
E ele estava ali, nos seus joelhos, ela podia sentir a sua vidinha pouco a pouco se esvaindo, sem poder fazer nada. Eu particularmente não posso nem imaginar a dor que seja passar por uma situação como essa. E a Sunamita olha para o seu filho, o seu sonho de ter uma família, agora frio, gelado, morto em seu colo...
Mas se estava passando pelo vale da sombra da morte, ela não temeu. Ela não aceitou a morte do seu sonho! Tomando-o em seus braços, o põe carinhosamente na cama do profeta Eliseu, e parte para um duro embate, um caminho longo, uma jornada de 24 quilômetros na estrada que subia até o monte Carmelo, para recuperar a vida de seu filho, fruto da promessa de Deus.
Ao longe ela responde ao profeta com palavras que demonstravam a sua certeza, a fé de que a vida do seu filho seria restaurada. A frase "vai tudo bem", faz me lembrar da resposta de Abraão ao seu filho Isaque, quando este iria oferecê-lo em sacrifício a Deus.
"E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos." Gênesis 22:8
Ao chegar diante de Eliseu, ela se prostra com o coração quebrantado. E Eliseu sendo um homem poderoso em palavras e obras, nos deixa também uma lição de humildade aqui. Ao invés de tentar "dar uma de adivinho", ele reconhece que Deus não havia lhe revelado o que estava acontecendo naquele momento.
"Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o SENHOR me encobriu, e não me manifestou." 2 Reis 4:27
Eliseu então manda o seu discípulo Geazi por o seu bordão sobre o rosto do menino morto. Mas há tarefas que não são para Geazi realizar. Certas coisas exigem a presença do homem de Deus. A Sunamita sabia disso, e luta por seu filho, insistindo com o profeta que não o deixaria enquanto ele não fosse com ela.
Eliseu vendo a disposição e a fé dela, levanta-se e a acompanha. Geazi que foi na frente deles, volta com notícias não muito boas, o bordão não funcionou. Algo parecido havia acontecido também com Jairo, quando buscava pela ajuda de Jesus e os seus familiares chegaram dizendo que sua filha já estava morta, ao que o Mestre lhe deu a boa instrução: Crê somente.
O bordão de Eliseu não funcionou porque para se ressuscitar sonhos é preciso intercessão, súplicas e "calor humano". Eliseu teve que orar de portas fechadas, pois "ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente." Mateus 6:6.
É preciso insistência, "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á." Mateus 7:7. Eliseu após a oração, transmite "calor" ao jovem através do contato direto com o morto. Uma simbologia de que não podemos nos isolar daqueles que estão "mortos espiritualmente", necessitando da nossa ajuda.
Tal como Jesus, Eliseu não temeu a impureza cerimonial da Lei, mas voltou a deitar-se sobre o menino, aquecendo-o novamente e transmitindo-lhe vida. Muitas vezes é preciso agir de igual forma, abraçando com muito amor os pecadores, a quem desejamos ver "ressuscitados".
"E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu." 2 Reis 4:34
A fé da Sunamita foi honrada, o sonho de Deus não morre, temos que ter fé. Ela humildemente agradece e entra para a história de Israel como uma mulher sábia e de fé.
Eu sei que há muita gente com os sonhos morrendo, gente que perdeu tanta coisa na vida, e chega até aqui sem nem saber como. Talvez o seu sonho esteja esquecido, no passado, você já nem se lembra mais o que é poder sonhar.
Quem sabe o seu sonho é ver aquela pessoa amada ou um familiar transformado, "ressuscitado" espiritualmente, liberto das drogas, dos vícios e do pecado. Mas você precisa tomar uma decisão hoje. Veja, a Sunamita decidiu firmemente que ela não aceitaria a morte da promessa de Deus na sua vida, e partiu num longo caminho até o profeta.
O caminho da restauração é longo e difícil. O Primeiro passo da Sunamita foi a transformação dela mesma. Resolveu confiar em Deus e se dedicar ao amor quando ainda nem tinha a perspectiva de ter um filho.
Jesus sempre alertou aos seus discípulos que a maior arma que vence o mundo é o amor. Resolva amar. Renuncie à violência, renuncie às discussões, renuncie aos desentendimentos. E tenha atitudes de amor, perdoe, abrace, transmita calor humano e vida.
E ore. Confie no Senhor, Ele renovará as suas forças.

26 de set de 2016

Bênçãos da porção dobrada


Cuidar para que uma tarefa ou um projeto de Deus seja concluído até o fim é extremamente importante. Muitas pessoas começam com entusiasmo, mas nunca as terminam, e isto não agrada a Deus. A Bíblia diz em Lucas 14: 28-30 que devemos calcular o custo antes de começarmos a construir e nos certificarmos de que temos o que vamos precisar para concluir o projeto.

Eliseu era servo de Elias e havia sido escolhido e ungido para tomar o lugar do profeta quando ele partisse. Como se aproximava o fim do tempo de Elias na terra, ele perguntou a Eliseu o que podia fazer em seu favor antes de partir. Lemos em 2 Reis 2:9 que Eliseu pediu a Elias que ele fosse o principal herdeiro de seu espírito profético. Outra forma de dizer isso seria que Eliseu pediu uma “porção dobrada” da unção de seu mentor. Eliseu havia pedido algo difícil, mas lhe foi dito que assim seria feito se ele visse Elias sendo levado aos céus.

Sempre tive a impressão de que Elias estava dizendo: “Se você permanecer comigo até o último instante, se completar o que começou há muitos anos – então poderá ter o que pediu”. Muitas pessoas pedem coisas e depois não estão dispostas a fazer o que é necessário para terem seus pedidos concedidos. Pedir é fácil, mas cuidar para que as coisas sejam finalizadas, não. O começo das coisas é sempre empolgante e vem acompanhado de zelo e entusiasmo.
Não poucas vezes, no início de um empreendimento, muita gente está disposta a ajudar. No entanto, o caminho vai se tornando mais difícil quando a novidade passa e algumas das pessoas que no princípio haviam se comprometido com o projeto perdem o interesse ou se cansam.

Precisamos ser capazes de suportar o trabalho árduo, de esperar mais tempo que o previsto pelos resultados, de sofrer a solidão, a traição, a incompreensão, e muitas outras coisas desagradáveis, se necessário. Jesus suportou todas essas coisas para cumprir a vontade de Deus para sua vida, e nós devemos seguir os passos dEle. Jesus disse: “Tome a sua cruz e siga-me” (ver Lucas 9 :23). Creio que a cruz que somos chamados a carregar é o desafio de vivermos uma vida destituída de egoísmo. Isto significa que não podemos desistir ou voltar atrás apenas porque não gostamos do trabalho difícil que é perseverar. Precisamos viver além do que sentimos, pensamos ou queremos, e, diante das dificuldades, fazer tudo o que Deus nos pede para fazer.

Tome hoje a decisão de que, a partir de agora, pela graça de Deus, você sempre terminará o que começar. Pode ser limpar o seu quarto, ou manter um compromisso firmado na igreja ou com um amigo. Pode ser pagar aquilo que comprou ou entrar para um seminário. Seja lá o que for, apena faça-o! Deus tem uma herança, uma porção dobrada esperando por você, mas você só a encontrará na linha de chegada.

Que o Senhor Jesus o abençoe!

Bíblia de estudos Joyce Meyer – página 436 - 2 Reis 2

30 de ago de 2016

A RESPOSTA DO SENHOR - Habacuque 2:2-3


Então o Senhor respondeu: "Escreva claramente a visão em tabuinhas, para que se leia facilmente. Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que se demore, espere-a; porque ela certamente virá e não se atrasará". Habacuque 2:2,3

Habacuque esperava plenamente que Deus respondesses às suas perguntas, aguardando pelas respostas numa posição de vigilante expectativa (Hb 2:1-3). Você acredita que Deus vai lhe responder? Tal como o profeta, aprenda a esperar pela resposta de Deus. Peça-Lhe que o ajude a reconhecer quando Ele estiver respondendo. Anotar as respostas às suas orações é um sinal maravilhoso de testemunho da Sua fidelidade.

Habacuque também fala de um “tempo designado” para que uma visão se cumpra. Um “tempo designado” significa simplesmente que Deus sabe que aquele é o tempo certo. Devemos nos humilhar e submeter as nossas ideias à Sua sabedoria e poder; e devemos confiar quando Ele diz que não se atrasará.

Um “tempo designado” também significa um tempo já estabelecido e decidido para determinadas coisas. É como ter um compromisso marcado. Não podemos ir a um médico, a um dentista ou a um mecânico até que chegue a hora marcada. Do mesmo modo, Deus tem “compromissos marcados” para coisas específicas em nossas vidas. Essas coisas acontecerão no tempo designado para elas; elas não serão antecipadas, mas não se atrasarão nem por um minuto. Anime-se. Deus cumprirá os compromissos que tem com você!

11 de jul de 2016

OUÇA A PALAVRA DO SENHOR


Estou certa de que, em algum momento em sua vida, você sentiu que para onde quer que olhasse via uma pilha de ossos secos, tal como a cena de Ezequiel 37:1-14.

Deus mostrou uma pilha de ossos frágeis a Ezequiel e lhe perguntou: “Estes ossos poderão tornar a viver?” (Ezequiel 37:3). Em outras palavras, Ele estava perguntando: “Pode se fazer alguma coisa com este caos?” Esta situação pode mudar?”.

Então Ele disse a Ezequiel para falar aos ossos e dizer a eles: “Ossos secos, ouçam a Palavra do Senhor!” (Ezequiel 37:4).

Se a sua vida está um enorme caos e você está tentando expulsar o diabo de sua propriedade e mantê-lo debaixo dos seus pés, você pode fazer isso com palavras. Você pode dizer: “Ouça, sua grande montanha, ouça a Palavra do Senhor! Ouça, caos, ouça a Palavra do Senhor! Ouça, pobreza, ouça a Palavra do Senhor! Ouçam, enfermidade e doença, ouçam a Palavra do Senhor! Ouça, espírito atormentador, ouça a Palavra do Senhor!”

A medida que você ler o restante da história em Ezequiel 37, descobrirá que depois que Ezequiel fez o que Deus lhe disse pra fazer e profetizou àqueles ossos secos, eles se juntaram, tendões e carne vieram sobre eles, e eles foram cobertos por ele.

Então, em Ezequiel 37:9, o Senhor disse a ele para profetizar e dar ordem para que o sopro de vida e o espírito entrassem neles. No versículo 10, Ezequiel disse: “Profetizei conforme a ordem recebida e o espírito entrou neles. Eles receberam vida e se puseram em pé. Era um exército enorme!”. Tudo isso aconteceu por que um homem profetizou a Palavra de Deus sobre uma situação que precisava ser transformada.

Deixe-me perguntar-lhe: - O que você está dizendo às situações mortas e secas da sua vida? Você está profetizando aos seus ossos secos? Ou o que você está dizendo está fazendo com que eles fiquem mais mortos e secos ainda?

Talvez isso lhe soe familiar: “Nada na minha vida vai mudar. Toda vez que consigo algum dinheiro o diabo o rouba de mim. Isso nunca falha; todas as vezes que penso que alguma coisa boa vai acontecer, sou atacado. Toda vez que começo alguma coisa, vem outra coisa ruim pra atrapalhar. Tudo que eu começo eu não consigo terminar.” Se é isso que você está dizendo, você está apenas pedindo mais problemas. Todas as vezes que você fala assim, está dando ao diabo o direito de usar o poder dele. Em vez disso, aprenda a declarar a Palavra de Deus e a neutralizar o poder de satanás.

Não fale sobre como você se sente ou o que você pensa; não olhe para a sua vida e para o que você não tem. Abra a sua boca e fale sobre o que Deus prometeu a você! Quando você mudar as suas palavras, o diabo terá perdido. Não há nada que ele possa fazer contra a Palavra de Deus. A vitória pertence a você!

Ezequiel 37:1-14 - 1 A mão do Senhor estava sobre mim, e por seu Espírito ele me levou a um vale cheio de ossos. Ele me levou de um lado para outro, e pude ver que era enorme o número de ossos no vale, e que os ossos estavam muito secos. Ele me perguntou: "Filho do homem, esses ossos poderão tornar a viver? "Eu respondi: "Ó Soberano Senhor, só tu o sabes". Então ele me disse: "Profetize a esses ossos e diga-lhes: Ossos secos, ouçam a palavra do Senhor! 5 Assim diz o Soberano Senhor a estes ossos: Farei um espírito entrar em vocês, e vocês terão vida. 6 Porei tendões em vocês e farei aparecer carne sobre vocês e os cobrirei com pele; porei um espírito em vocês, e vocês terão vida. Então vocês saberão que eu sou o Senhor’". 7 E eu profetizei conforme a ordem recebida. E, enquanto profetizava, houve um barulho, um som de chocalho, e os ossos se juntaram, osso com osso. 8 Olhei, e os ossos foram cobertos de tendões e de carne, e depois de pele, mas não havia espírito neles. 9 A seguir ele me disse: "Profetize ao espírito; profetize, filho do homem, e diga-lhe: “Assim diz o Soberano Senhor: Venha desde os quatro ventos, ó espírito, e sopre dentro desses mortos, para que vivam". 10 Profetizei conforme a ordem recebida, e o espírito entrou neles; eles receberam vida e se puseram de pé. Era um exército enorme! 11 Então ele me disse: "Filho do homem, esses ossos são toda a nação de Israel. Eles dizem: ‘Nossos ossos se secaram e nossa esperança se foi; fomos exterminados’. 12 Por isso profetize e diga-lhes: ‘Assim diz o Soberano Senhor: Ó meu povo, vou abrir os seus túmulos e fazê-los sair; trarei vocês de volta à terra de Israel. 13 E, quando eu abrir os seus túmulos e os fizer sair, vocês, meu povo, saberão que eu sou o Senhor. 14 Porei o meu Espírito em vocês, e vocês viverão, e eu os estabelecerei em sua própria terra. Então vocês saberão que eu, o Senhor, falei, e o fiz seus companheiros, palavra do Senhor’ ".

Bíblia de estudos Joyce Meyer – NVI – página 953
Julho/2016

10 de mai de 2016

Dê um passo e descubra


Todos nós precisamos ouvir a voz de Deus diariamente sobre assuntos diversos, mas há momentos críticos em nossas vidas em que precisamos saber, de um modo especial, que estamos ouvindo claramente a Sua voz. Deus quer falar conosco, mas temos de tomar cuidado para não desenvolvermos uma mentalidade fechada sobre como Ele quer falar conosco.

Às vezes Deus fala abrindo ou fechando uma porta para algo que queremos fazer, como Ap 3:7 nos sugere. Meu marido Dave e eu sabemos por experiência própria que Deus pode abrir portas de oportunidades que ninguém pode fechar, e Ele também pode fechar portas que simplesmente não podemos abrir. Oro para que Deus abra somente as portas através das quais Ele quer que eu passe. Posso achar sinceramente que é certo fazer determinada coisa, quando na verdade é errado; portanto, dependo de Deus para fechar portas através das quais estou tentando passar, caso eu na verdade esteja cometendo um erro: "Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos." Pv. 16:9.

Às vezes a única maneira de descobrir a vontade de Deus é colocar em prática o que chamo de "dar um passo e descobrir". Se eu oro acerca de uma situação e não tenho certeza do que devo fazer, eu dou um passo de fé. Deus me mostrou que confiar nEle é como confiar diante da porta automática de um supermercado. Podemos ficar em pé olhando para a porta o dia inteiro mas ela não se abrirá até que demos um passo à frente e acionemos o mecanismo que abre a porta.

Há momentos na vida em que precisamos da um passo à frente para descobrir - de um jeito ou de outro - o que devemos fazer. Algumas portas nunca se abrem se não dermos um passo em direção a elas. Outras vezes podemos dar um passo e descobrir que Deus não abrirá aquela porta. Se confiarmos que Ele nos dará a Sua direção e a porta se abrir facilmente, podemos crer que Ele está nos conduzindo a abraçar a oportunidade que está diante de nós.

Em I Co 16:9, Paulo afirma que Deus abriu uma grande oportunidade para ele e seus companheiros. Ele também menciona que havia muitos adversários, então não devemos oposição com porta fechada.

Paulo e seus companheiros de trabalho não ficaram sentados esperando que um anjo aparecesse ou que uma visão lhes fosse dada enquanto oravam pedindo direção. Eles deram passos na direção que sentiram ser a correta. Muitas vezes Deus abriu a porta realmente, mas houve vezes em que Ele a fechou. Isto não os desanimou. Eles não tinham medo de "perder a oportunidade de Deus", pois eram homens de fé e ação. Também sabiam recuar rapidamente quando ficava evidente que Deus não estava permitindo que seguissem seus próprios planos. 

Eu o encorajo a agir do mesmo modo. Dê os passos que você acredita que precisa dar na sua vida e observe se Deus abre ou fecha portas.

Bíblia de estudos da Joyce Meyer 

30 de abr de 2016

Alivie a pressão - Joyce Meyer


Em Filipenses 3:9, Paulo diz que quer alcançar uma coisa na vida - ser encontrado em Cristo. Essa precisa ser a nossa atitude também. Não podemos sempre manifestar um comportamento perfeito, mas com a ajuda de Deus podemos continuar prosseguindo para o alvo.

Você sabe por que Deus nunca nos deixa ter um comportamento irrepreensível? Se chegássemos a esse ponto, nosso senso de valor se basearia em nossa perfeição e em nosso desempenho, em vez de se basear no Seu amor e na Sua graça.

Se você e eu nos comportássemos perfeitamente o tempo todo, acharíamos que Deus deve responder às orações que lhe fazemos em função da nossa obediência a todas as normas e regulamentos. Sabe o que Deus faz então? Ele deixa algumas fraquezas em nós para que tenhamos de ir até Sua presença constantemente  pedir ajuda. As nossas fraquezas nos mantêm dependentes dEle, quer gostemos disso ou não.

Deus não vai deixar que trabalhemos à nossa maneira a fim de estabelecer um sentimento de paz e realização. Mas permitirá que entremos em um processo de frenesi e inquietação. Por quê? Para que percebamos que as obras da carne não produzem nada senão infelicidade e frustração (Rm 3:20 - 20 Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.)

Se é assim que as coisas funcionam, o que devemos fazer? Confiar em Deus, relaxar e aproveitar a vida. Precisamos aprender a desfrutar mais de Deus. Isto não apenas nos ajudará, como também aliviará a pressão feita pelas pessoas que nos cercam. Precisamos parar de exigir perfeição de nós mesmos e de todos os que estão ao nosso redor. Precisamos começar a apreciar as pessoas exatamente como elas são.

Na essência, Paulo disse que queria comparecer diante de Deus e dizer: "Bem, aqui estou Senhor, e embora eu não tenha um histórico de perfeição, realmente creio em Jesus. A minha justiça está nEle e não no meu hábil desempenho". 

Façamos com que também esse seja o nosso objetivo!

Bíblia de estudos da Joyce Meyer - Página 1.390

20 de abr de 2016

Treinado para Confiar em Deus


No início do ano passado, passei por um período complicado em minha vida emocional, mas DEUS sempre esteve presente, me direcionando, amparando acima de tudo, amando. Hoje no meu devocional me deparei com esse texto que havia lido no ano passado em 03/2015. Foi um alívio... Há momentos difíceis em nossas vidas, e esses momentos parecem intermináveis, mas eles terminam. Acreditem! Hoje entendo tudo que passei, vejo minha libertação e cura através desses períodos de crescimento. Eu o incentivo a buscar e confiar em Deus, não espere do ser humano algo que só DEUS pode te dar. Leia o texto abaixo e seja edificado, em Nome de Jesus!


Um dos testes que podemos esperar encontrar na nossa própria jornada com Deus é o teste da confiança. Assim como Jó, precisamos aprender a confiar em Deus quando não entendemos o que está se passando em nossa vida (ver Jó 23:10).
Quantas vezes dizemos a Deus: "O que Tu estás fazendo? O que está acontecendo? O que está acontecendo com minha vida? Não estou entendendo nada". Em momentos assim, muitas pessoas ficam confusas a ponto de desistirem ou fracassarem. Elas desistem no meio do caminho e voltam para algo que seja mais rápido e mais fácil.
Se neste momento parece que nada em sua vida faz sentido, confie em Deus de qualquer jeito. Diga a si mesmo: " Isto deve ser um teste".
Temos que aprender que não existe confiança em Deus se não existem perguntas sem resposta. Se tivermos as respostas para todas as perguntas, não teremos necessidades de confiar porque já sabemos de tudo.
Enquanto Deus está nos treinando para confiarmos, sempre haverá coisas em nossas vidas que simplesmente não entendemos. É por isso que temos que aprender a dizer: "Deus, eu não entendo, mas confio em Ti".
Às vezes temos vontade de dizer "Diga-me alguma coisa, Senhor". 
Mas aprenda que se Ele nada disser, só precisa se preocupar em fazer a última coisa que Ele disse para fazer, seja ela qual for, e simplesmente continuar confiando Nele. Se Ele disser algo diferente, então o fará. Mas até que Ele diga, simplesmente continue a fazer o que Ele já disse para fazer.
Sem confiança em Deus, nossa vida é infeliz. Por isso, assim como Jó, precisamos aprender a confiar em Deus quando não entendemos e quando o céu está em silêncio.

Deus está claramente dizendo “Eu não vou te falar nada novo porque você tem que fazer o que eu já te pedi, e você vai ter que passar por isso sim.”
Quando os discípulos estavam exaustos, quando eles tinham tentado e tentado e não pescaram nada, Jesus falou com eles e isso bastou.
“Simão respondeu: “Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada”. Mas, porque és tu quem está dizendo isto, vou lançar as redes”. Quando o fizeram, pegaram tal quantidade de peixes que as redes começaram a rasgar-se.” Lucas 5:5-6
Jairo estava desesperado, a sua filha havia morrido. Mas quando Jesus falou com ele as circunstâncias não mais importaram. “Enquanto isso, todo o povo estava se lamentando e chorando por ela. “Não chorem”, disse Jesus. “Ela não está morta, mas dorme.” (...) Ele a tomou pela mão e disse: “Menina, levante-se”. O espírito dela voltou, e ela se levantou imediatamente.” Lucas 8:52-55
Não tome decisão nenhuma sem falar com Deus, sem saber o que Ele quer, o que Ele tem a dizer a você. Não seja dirigido pelo que você sente, ou pensa, seja dirigido por Deus.
“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento.” Provérbios 35:6
Porque quando confiamos em Deus para nos dirigir nas mínimas coisas, até no que não faz sentido para nós, Ele torna o nosso caminho perfeito. Todos os grandes homens da bíblia escreveram que quando não sabiam o que fazer voltavam os olhos para Deus. Faça isso hoje, que os seus olhos estejam em Deus. Obedecer a Deus traz paz. 
Primeiro damos o passo (em obediência), depois Ele coloca o chão.
- Quando estou triste, quando estou desesperada, quando estou confusa, quando eu não sei o que fazer, quando estou feliz... eu corro pra Deus, e quando Ele fala, as circunstâncias não precisam mudar pra eu ficar bem e sentir paz, Ele falou. E não é qualquer um, é Deus falando. É suficiente para mim.
Bíblia de estudo Joyce Meyer
Adaptação dos Crentes assembleianos e de Karla Laura

11 de abr de 2016

Primeiro lugar


Em poucas palavras, Mateus 6:33 ensina que “o principal é manter o principal como o principal” precisamos saber qual é a coisa mais importante em nossas vidas e manter as nossas prioridades alinhadas. Em nossa sociedade hoje, vemos uma grande ênfase no comércio e nas coisas materiais, mas precisamos lembrar que as coisas não são o que importam mais para Deus. Ele quer que tenhamos e desfrutemos de coisas boas, mas exige o primeiro lugar em nossas vidas. Somos ensinados a buscar o Reino de Deus e a Sua justiça antes de buscarmos qualquer outra coisa.

A palavra buscar é uma palavra muito forte. Significa “perseguir”, "almejar” e "ir ao encalço com toda força”. Quando buscamos alguma coisa, pensamos nela com frequência; falamos nela; e estamos dispostos a pagar um preço para consegui-la. Algumas pessoas até caem na armadilha de buscar a Deus para que Ele lhes dê as coisas que querem obter. Quando elas fazem isso, o fazem pelos motivos errados e Deus retém aquilo que desejam.

Precisamos criar o hábito de buscar a face de Deus e não as Suas mãos. Em outras palavras, devemos buscar a Sua "presença” e não Seus "presentes”. Eu insisto para que você O busque por quem Ele é e não pelo que Ele pode fazer por você.

Deus se agrada imensamente quando queremos passar o tempo com Ele apenas por que O amamos. Ele também se agrada quando O louvamos e adoramos apenas porque Ele existe. Todos gostam de alguém que celebre a sua "existência” e não apenas os seus "feitos”. Não quero amigos que só estejam interessados no que eu posso fazer por eles; quero que estejam interessados em quem sou e que gostem de mim pela pessoa que sou. Estou certa de que você sente o mesmo – e Deus também sente assim.
Quando O colocamos em primeiro lugar, mantemos esta posição de primazia e procuramos fazer as coisas do jeito dEle, mostramos que temos prazer nEle. Então o Senhor concede os desejos do nosso coração (Sl 37:4 - Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.).
Bíblia de estudos da Joyce Meyer - página 1082

16 de fev de 2016

Aprenda a vencer o campo de batalha da sua mente!


Você não será mais o mesmo, depois de ler essa mensagem e praticá-la.

Todo problema começa na mente. Nossa mente é o grande campo de batalha em que devemos alcançar vitória sobre o diabo. A verdadeira guerra espiritual não é uma questão de expulsarmos demônios, mas um resistir ao diabo e às imagens que ele lança em nossa mente.

Se você já recebeu o Senhor Jesus, o seu espírito já foi recriado, regenerado e, portanto, está pronto. A obra de Deus hoje em sua vida consiste em transformar a alma.

Essa transformação ocorre pela renovação da mente. É um processo que dura a vida inteira e consiste em abandonar fundamentos errados e firmar-se na rocha, que é a Palavra de Deus. Vamos ver alguns principais fundamentos ou bases que o inimigo usa para controlar as nossas mentes.

PRIMEIRO FUNDAMENTO ERRADO: IMAGENS ERRADAS 
Existe uma sequência simples em nossa mente: imagens produzem pensamentos, pensamentos produzem palavras e palavras geram ações. Se queremos mudar o comportamento, as ações, temos de ir à origem e mudar as imagens.

Tudo o que Deus faz Ele o faz a partir de imagens. Antes de Deus nos levar a fazer alguma coisa, Ele sempre nos levará a imaginar a obra e sonhar com ela. Foi assim que Deus fez com Abraão. Deus lhe fez promessa de que a sua descendência seria muito numerosa e então lhe disse: “Olhe para as estrelas, Abraão, olhe para a areia do mar. Encha a sua mente com essas imagens. Não olhe para a sua idade, olhe para as estrelas. Não olhe para idade avançada de Sara, olhe para a areia do mar”.

O inimigo tem tentado convencer a muitos de que sua mente não pode ser controlada. Entretanto, isso é um engano, uma mentira. Nós podemos e devemos controlar as imagens que vêm à nossa cabeça. É verdade que não podemos impedir que venham imagens erradas à nossa mente, mas podemos impedir que elas continuem ali. Não podemos impedir que um passarinho pouse em nossa cabeça, mas podemos impedir que ele faça um ninho. Todos formamos dentro de nós imagens com relação a Deus, a nós próprios e aos outros. A nossa tendência é de nos relacionarmos com essas imagens.

A primeira imagem com a qual nos relacionamos é a imagem de Deus. Eu gosto muito do nome de Deus, o seu nome é “Eu sou o que sou”. É como se o Senhor estivesse nos dizendo: “Não me confunda com outro, eu sou o que sou. Eu não sou o que você pensa, eu sou o que sou”. A tendência é projetarmos em Deus as imagens dos nossos pais terrenos. É por isso que muitos têm problemas na vida cristã. Por que você deixa de orar? Certamente, deve ter acontecido algo errado e você está apenas fugindo de Deus. A imagem que o diabo insinua é que Deus é mau e está nos esperando para nos condenar e punir. Pode ser ainda que deixamos de orar porque há algo errado em nós e tememos ser rejeitados por Deus. Daí fugimos do contato com Ele.

O diabo é que produz imagens de que Deus é mau e está com raiva de você. Quando você era criança, sempre ouvia aquela terrível advertência: “Se você fizer algo errado, papai do céu não gosta mais de você”. Crescemos, mas ainda pensamos que aquelas palavras eram verdadeiras. Hoje, quando fazemos algo errado, logo pensamos que Deus não nos ama mais. Quem nunca ouviu em sua mente aquela frase: Deus agora desistiu de você?

Sempre gosto de me lembrar da imagem que o servo infiel tinha de Deus na Parábola dos Talentos, em Mateus 25.24. No seu conceito, o servo infiel pensava que Deus era alguém tão severo que queria colher o que não havia semeado e queria ajuntar o que não havia espalhado. Foi essa imagem distorcida de Deus que o levou a agir errado guardando o seu talento com medo de Deus, pois o diabo conseguiu torcer a imagem de Deus em sua mente. Não podemos servir a Deus com base no medo, na angústia e na cobrança. Deus é o que Ele diz que é, não o que você pensa ou que os outros dizem. E onde podemos saber o que Deus diz? Evidentemente, na sua Palavra. A Palavra de Deus nos diz que Deus é Amor, Deus não está zangado com você. Ele o ama como você é. E já pagou o preço por todas as suas injustiças. Lembre-se, Deus nunca desiste de você. E a imagem que temos de nós mesmos? Como elas podem nos influenciar? De todas as formas.

A imagem que temos de nós mesmos determina como vamos nos relacionar com os outros. Em Romanos 12.3, a Palavra de Deus nos adverte para que não pensemos de nós além do que convém, ou seja, não devemos pensar de nós algo que vai além do que é correto. Em Provérbios 23.7, a Bíblia diz: “Porque, como imagina o seu coração, assim ele é”. Veja, você é o que imagina ser. Precisamos encher a nossa mente com as imagens verdadeiras da Palavra de Deus. Você não é o que seus pais dizem, não é o que seus colegas dizem, você é o que Deus diz que você é.

Em Números 13.33, temos um exemplo interessante do poder da autoimagem. Os espias foram enviados por Moisés para verem a terra prometida, e no seu retorno fizeram o seguinte relatório: “Vimos ali gigantes e éramos aos nossos próprios olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos”. Eles se viam como gafanhotos e viam os inimigos como gigantes. A autoimagem deles era a de gafanhotos. Isso explica porque não puderam alcançar muita coisa; afinal, gafanhotos são insignificantes.

O grande problema é que os crentes não sabem quem são em Cristo. Não se veem como Deus os vê, e, por isso, cedem às ameaças do inimigo. Você é aquilo que você fala e aquilo que vê em você. Se nos vemos como fracos, assim o seremos; se nos vemos como gafanhotos, eis no que nos tornamos. E ainda há pessoas que se desvalorizam e se depreciam achando que com isso glorificam a Deus. Aprenda a perceber o seu valor em Cristo. Se o valor de uma mercadoria é medido pelo preço que se paga por ela, então podemos dizer que o seu valor é extraordinariamente grande, pois o preço que foi pago por você é o sangue de Jesus, que representa a vida do próprio Deus.

Você pode estar pensando consigo mesmo: “Eu tenho uma autoimagem correta”. Mas eu gostaria de checar isso com você. Vamos colocar algumas características que apontam para uma autoimagem errada.

Melindroso – O melindroso se vê como uma minhoca, e, por isso, julga que todos estão pisando nele.
Argumentador – Se alguém se vê menor que os outros, vai ter de mostrar que é melhor, que tem a melhor ideia, por isso, está sempre argumentando e rejeitando a opinião dos outros.
Crítico – Por se achar ruim, sente-se melhor rebaixando os outros, mostrando seus defeitos.
Intolerante – Essa atitude diz que a pessoa tem medo de ser suplantada por alguém que venha a ser ou fazer algo melhor do que ela.
■ Mau perdedor – Para provar que tem valor, nunca pode perder, e, por isso, faz qualquer coisa para ganhar.
Perfeccionista – Há o engano de pensar que só terá valor se for perfeito, como nunca alcança a perfeição, a autoimagem fica destruída.
Exibicionista – Gosta de exibir seus títulos e condecorações. Essa atitude dispensa qualquer comentário.

Poderíamos citar muitas outras atitudes que demonstram uma autoimagem errada.
Este é o primeiro fundamento ou base que o inimigo procura estabelecer em nossa mente. Para vencer esse problema, precisamos renovar a nossa mente com a Palavra de Deus. Veja-se como Deus o vê. Descubra a sua filiação. Assuma a sua posição elevada em Cristo. Use a sua autoridade. Utilize o seu poder. Avalie a sua riqueza e herança em Cristo. Diga em voz alta: “Eu fui criado à imagem de Deus, para ser como Ele, para manifestá-lo e expressá- -lo sobre a terra. Sou feito para a vida e o amor, para o poder e a prosperidade, para o sucesso e progresso, para a dignidade e a glória de Deus. Eu nasci para ser filho do Rei!

SEGUNDO FUNDAMENTO ERRADO: LEMBRANÇAS ERRADAS 
Quando eu estava na faculdade de psicologia, ouvia sempre esta afirmação: “É preciso que nos lembremos do nosso passado”. Todo tratamento na psicologia consiste basicamente em se lembrar de coisas do passado. Este é o padrão do mundo. Se queremos ter a nossa alma transformada e a nossa mente renova, temos de seguir o padrão bíblico: esqueça o passado.

Em Isaías 43.18, 25, lemos: “Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas”. Deus diz que, uma vez que os nossos pecados foram perdoados, não haverá mais lembranças deles diante d´Ele.

Se Deus se esquece do nosso passado, por que temos de lembrar dele? O problema na mente de muitos crentes são as lembranças erradas. Não devemos discutir com a Palavra de Deus, apenas praticá-la. Se Deus me manda esquecer, então eu devo esquecer.

O próprio Paulo nos oferece o exemplo e o padrão em Filipenses 3.13: “Esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo”. A Bíblia nos orienta a andar olhando para o alvo, e não para o passado. Tudo o que você era e tudo o que você fez foi sepultado com Cristo por ocasião da sua morte. Você renasceu em Cristo; antes, estava morto, mas agora nasceu de novo.

Criança não tem passado, logo você também não tem passado. Isso é um fato diante de Deus e deve também ser para você. Uma das coisas que nos levam a ficar presos ao passado é o ressentimento e a falta de perdão. É necessário que sejamos completamente livres do passado. Por isso, abra o seu coração para perdoar e aceite também o perdão em sua vida completamente.

TERCEIRO FUNDAMENTO ERRADO: CONFISSÃO ERRADA 
"Tomai também o capacete da salva- ção e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus" (Efésios 6.17).

"Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força". (Apocalipse 1.16)

Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;

E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam. (Mateus 4.1-11) "Eles, pois, venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida". (Apocalipse 12.11)

Aquilo que você fala é aquilo que você produz. Quer suas palavras sejam positivas ou negativas, são sementes. Produzirão nos outros o tipo de pessoa que você é. Todos nós fazemos confissões o tempo todo. Você é dominado pelas suas palavras. Poucos são os crentes que percebem a importância das confissões. A Palavra “confissão” tem, para muitos, a ideia de confessar pecados simplesmente. Mas confessar significa falar o mesmo que Deus, concordar com Deus.

Se desejemos ter a nossa mente renovada e a nossa alma transformada, temos de guardar a nossa boca de confissões de morte. Tudo o que Deus fez Ele o fez pela Sua Palavra. Provérbios 18.21 diz: “A morte e a vida estão no poder da língua”. As nossas palavras também criam realidade e podem mudar a nossa mente. Nunca fale em termos de doença, fale de saúde.

Nunca fale em termos de fracasso, creia no sucesso. Nuca fale em termos de derrota, proclame a vitória. Não enfatize o que o diabo tem feito, fale a respeito das tremendas obras de Deus. Você está numa guerra espiritual. Quer saiba disso ou não, ainda assim você está dentro dela. Assim, é melhor você se armar e sair para a peleja, pois o inimigo está rodeando, procurando uma brecha para atacar.

Você pode estar pensando: “Como posso me armar?”. A resposta é muito simples: com a maior de todas as armas, a Palavra de Deus. Você talvez me responda: “Bom, eu já tenho uma Bíblia”. Mas ouça-me, ter uma Bíblia apenas não resolve. A Palavra é uma arma que não funciona na mão, funciona apenas na boca. Quando João viu a Jesus no livro de Apocalipse, da boca de Jesus saía uma espada afiada. Não pense que Jesus é um faquir que engole espadas. A visão era um símbolo de que a espada do Espírito deve estar colocada em nossa boca. A Palavra na sua boca vai produzir o que ela diz, vai gerar vida, e ainda mais, vai arrasar com o diabo. A morte e a vida estão no poder da língua, o que a bem utiliza come do seu fruto. (Provérbios 18.21)

Aí está! Palavras são sementes. Nós colhemos exatamente aquilo que plantamos. É preciso que você separe um tempo do seu horário devocional para confessar a Palavra. Na verdade, você deve aprender a confessá-la à medida que estiver lendo. Após ler os versículos, faça uma confissão em primeira pessoa. Quando você falar a Palavra, terá sido afetado mental, emocional, física e espiritualmente. A Palavra é o poder de vida, e o confessar lhe trará vida em qualquer situação em que você esteja. Muitas vezes, você não verá o resultado imediato de sua confissão, mas lembre-se, a confissão é uma semeadura. A Palavra é a semente. Leva um certo tempo para a semente germinar, crescer e frutificar.

Em Mateus 4, Jesus nos deu o exemplo de como se deve usar a Palavra de Deus contra o diabo. Jesus estivera no deserto por quarenta dias jejuando e, ao final, Satanás veio para tentá-lo. E o que fez Jesus? Ele disse: “Está escrito!”. Ele apenas falou a Palavra de Deus. Após isso, logo o diabo O deixou dizendo: “Ok! Jesus, você venceu!”? Não! Ele ainda voltou para tentar a Jesus, não uma, mas duas vezes mais. E cada vez que ele vinha, Jesus dizia: “Está escrito!” e fazia uma tremenda confissão da Palavra de Deus.

Ouça-me, o diabo é um demente. Ele não desiste facilmente. Todavia, devemos atacá-lo com a mesma arma que Jesus usou: a Palavra de Deus. Jesus sabia do poder da Palavra em sua boca tanto para atacar como para defender. Observe bem a atitude de Jesus diante da persistência do diabo. Ele não disse: “Parece que isso não funciona. Eu confesso, o diabo vai, mas depois torna a voltar. Preciso buscar outra estratégia”. Ouça-me, Jesus não desistiu porque o diabo voltou. Ele não voltou para o deserto para jejuar novamente pensando que talvez não estivesse ainda em condições espirituais para enfrentar o diabo. Ele permaneceu firme apenas confessando a Palavra, dizendo: “Está escrito!”.

Em Apocalipse 12.11, lemos que “Eles venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram”. Amigo, a sua própria força é insuficiente para derrotar o diabo, você precisa do poder da Palavra de Deus. Lembre-se de que a Palavra de Deus é a verdade. A verdade não é o é que você vê, nem o que você sente, a verdade é o que a Palavra de Deus diz. Ainda que você não veja, nem sinta, ainda assim confesse a Palavra de todo o seu coração. A confissão vai gerar fé em você e esta vai produzir a realidade e a experiência daquilo que a Palavra de Deus diz. Confesse aquilo que Deus diz que Ele é, faz, e tem, aquilo que Deus diz que você é, que você faz, e que você tem. Brevemente, você colherá os resultados tremendos.

Confessar a Palavra é desembainhar a espada, usando-a. Jesus se apresenta com uma aguda espada de dois fios na boca (Apocalipse 1.16). Podemos perguntar por que na boca? Em Hebreus 4.12, vemos que essa espada é a Palavra. Assim, descobrimos que a Palavra de Deus só funciona como arma sendo verbalizada, isto é, falada. É uma espada que deve estar na nossa boca. Aprender a confessar a Palavra é fundamental para uma vida vitoriosa.

Jesus é o nosso modelo. Como Ele venceu a Satanás? Confessando a Palavra. Como destruímos os dardos inflamados do maligno? Confessando a Palavra. Então, como confessar a Palavra? A Bíblia ensina que aquilo que não procede do nosso coração não têm valor algum. Deus respeita somente o real consentimento dos homens. Daí Ele sonda os nossos corações, pois só damos real permissão quando o que é dito da boca para fora não tem valor algum. É pura religiosidade morta. Jesus dizia dos fariseus: “Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim” (Mateus 15.8). A confissão deve partir do coração.

QUARTO FUNDAMENTO ERRADO: MENTE PASSIVA 
A Palavra de Deus diz que devemos pensar em certas coisas e não em outras. Segundo a Bíblia, a nossa mente nos pertence e não podemos comandá-la como quisermos. É preciso que coloquemos os nossos pensamentos em linha com a Palavra de Deus, mas, para isso, é preciso que tenhamos uma mente ativa. Filipenses 4.8 diz:

[...] tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso que ocupe o vosso pensamento. Você pode escolher em que pensar. A sua mente lhe pertence assim como a sua mão ou a sua perna.

Você pode comandá-la. É necessário que abandonemos toda passividade mental para que não fiquemos à mercê de todo pensamento que nos sobrevenha. O que percebemos, entretanto, é que existe muita passividade no meio do povo de Deus. Há uma grande diferença entre a ação do diabo, só pode agir se formos passivos.

Deus age de forma oposta, Ele precisa de nossa atividade. A Palavra de Deus diz: “Busque de todo o coração, levante-se, erga a voz, peça, insista etc”. Se ficamos passivos, o Espírito não age, se cooperamos com Deus, os resultados aparecem.

Existem alguns sintomas comuns de mente passiva: falta de concentração, falta de atenção, imaginação descontrolada e pensamentos repentinos. Não deixe a sua à mercê das influências malignas, mas procure comandar todos os pensamentos para estarem em linha com a Palavra de Deus.

Pr. Aluízio Antônio
O Pr. Vinícius está pronto a esclarecer o que você não entendeu.
Ligue para (31) 98489-2607.
Fonte: Jornal Atos Hoje - Igreja Batista da Lagoinha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...